Eu?

Minha foto
País das Maravilhas, Brazil
O que sinto, escrevo! Meu coração pede e obedeço. É ele quem dá as ordens, é ele quem manda aqui!

sábado, 19 de novembro de 2016

Não me sinto capaz de ser mãe.


Um dia, descobri que estava grávida... Fiquei tão nervosa, ansiosa, com um medo tão grande e ao mesmo tempo com uma felicidade gigante de poder gerar uma vida dentro de mim.
Já imaginava se era menino ou menina, em minutos o mundo girou e minha imaginação voou em um universo de sonhos e desejos...
Fiz o teste de farmácia, deu positivo.
Marquei então o exame de sangue e uma ultrassom...
No dia, a pessoa que eu amava, tínhamos uma relação há 3 anos, que seria o pai do bebê foi junto comigo... Ficou no carro, não entrou na sala.
Eu recebi a confirmação e um : "Parabéns! Você será mamãe! " Sozinha.
Fiquei alguns minutos na recepção imaginando que ele estava tão nervoso e por isso não tinha entrado, tentei justificar como sempre fiz, a atitude covarde dele...
Planejei um modo de contar... Pensei naquela velha frase: "Dentro de mim não bate apenas um, mas dois corações"... E entrei no carro emocionada, disse a frase com lágrimas nos olhos, esperando um abraço e um sorriso de felicidade...
Silêncio...
A pessoa olhou para mim com um olhar fuzilante e nos minutos seguintes eu ouvi tantos desaforos, ofensas, palavras duras que mal sou capaz de repeti-las aqui...
Chorei copiosamente e assim fiquei por uns dois dias.
A história é longa e não vou contar todos os detalhes... O fato é que eu tenho uma mania insuportável de acreditar nas pessoas que apenas "dizem" que me amam.

Perdi o bebê.

Senti na pele a dor de uma perda irreparável, sofri sozinha durante o aborto que foi espontâneo.
Sangrei e senti as dores de um parto vazio.

Foram os momentos mais dolorosos da minha vida.

O fato ocorreu em junho de 2014.

Ainda não me recuperei.

Hoje não me sinto capaz de ser mãe.
Escuto sempre minha família dizer: Você não sabe criar nem os cachorros que têm...

Não me sinto capaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mentir é tão desnecessário.

Ahhh mentiras, mentiras...  Quando eu era mais nova, eu mentia com uma categoria que até eu acreditava naquele "conto" que...